sábado, 14 de dezembro de 2013

III Domingo do Advento


O MAIOR DENTRE OS NASCIDOS DE MULHER






Mt 11, 2 João estava na prisão.  Quando ouviu falar das obras de Cristo, enviou-lhe alguns discípulos, 3 para lhe perguntarem: 'És tu, aquele que há de vir, ou devemos esperar um outro?' 4 Jesus respondeu-lhes: 'Ide contar a João o que estais ouvindo e vendo: 5 os cegos recuperam a vista, os paralíticos andam, os leprosos são curados, os surdos ouvem, os mortos ressuscitam e os pobres são evangelizados. 6 Feliz aquele que não se escandaliza por causa de mim!' 7 Os discípulos de João partiram, e Jesus começou a falar às multidões, sobre João: 'O que fostes ver no deserto? Um caniço agitado pelo vento? 8 O que fostes ver? Um homem vestido com roupas finas? Mas os que vestem roupas finas estão nos palácios dos reis. 9 Então, o que fostes ver? Um profeta? Sim, eu vos afirmo, e alguém que é mais do que profeta. 10 É dele que está escrito: 'Eis que envio o meu mensageiro à tua frente; ele vai preparar o teu caminho diante de ti'. 11 Em verdade vos digo, de todos os homens que já nasceram, nenhum é maior do que João Batista. No entanto, o menor no Reino dos Céus é maior do que ele. 


            João Batista é figura de destaque neste tempo de Advento, tempo marcado pela espera do Senhor. João é o arauto do Messias, o precursor do Menino Deus. João é aquele que esperava ansioso a vinda do Messias Jesus que traria a paz ao mundo, o verdadeiro Shalom, a plenitude de Deus. Se Jesus vai até João, João também manda seus discípulos até Jesus. João quer ter a certeza de que se tratava de fato do Messias que ele, com todo apreço, anunciava. João vive sua missão direcionada a Jesus. Tudo o que João faz é anunciar o Salvador da humanidade, aquele que tira todo o pecado do mundo, que vem para restaurar o Israel de Deus, dominando com mão forte e braço santo.
            Mediante a questão de João, se Jesus seria o Messias enviado por Deus, Jesus manda dizer a João que coisas diferentes estão acontecendo: “os cegos recuperam a vista, os paralíticos andam, os leprosos são curados, os surdos ouvem, os mortos ressuscitam e os pobres são evangelizados” (v.5). Trata-se do tempo messiânico no qual Jesus está realizando a vontade de Deus. Jesus veio para libertar os pobres, curar os doentes, evangelizar os que andavam nas trevas do pecado e do medo. A missão de Jesus é pública e notória. Ele não quer esconder o que está realizando. É preciso que os discípulos de João anunciem a ele os fato e milagres que Jesus estava realizando na Galileia e por toda Judeia.
            Os discípulos de João retornam para dizer a ele na prisão o que viram. Felizes os que não se escandalizam com a ação de Jesus. Ele realiza a vontade de Deus. Jesus liberta a criação de Deus de todo laço do pecado e de todo desvio que conduz à morte. Feliz aquele que percebe em Cristo, no Filho de Deus, a ação salvífica do Pai, pela ação do Espírito Santo. Jesus é a presença de Deus no meio da humanidade. Ele realiza a vontade de Deus para que todos os homens tenham a vida em seu nome. A ação de Jesus é ação amorosa de Deus no mundo. Trata-se da experiência fundamental da redenção de Deus.
           Após o retorno dos discípulos de João até a prisão, Jesus inicia um verdadeiro elogio a João. Para Jesus, João é a excelência da profecia. O profeta por antonomásia. Pois João anuncia a vinda e a supremacia do Filho de Deus, do próprio Deus na carne, no coração da humanidade, do Mundo. Para o mestre Jesus, João é grande por causa daquilo que obedientemente ele realiza. João é  enviado, antecipadamente, para preparar os caminhos para o messias, para endireitar as veredas, aplainar os caminhos, preparando os corações para a mensagem do Evangelho. Por isso, o anúncio de João tem a ver sobremaneira com a conversão, a metanóia, isto é, com a mudança de pensamento, de tudo aquilo que é incomum a vontade e ao desejo de Deus para o ser humano. O que João faz é anunciar aos homens e mulheres de seu tempo a esperança de um tempo e de um mundo melhor. Por isso João é o maior homem nascido de mulher. Ele é arauto, aquele que anuncia com diligência. É também o precursor, o que prepara os caminhos para o Messias Jesus passar e realizar sua missão. Contudo, qualquer um que seja menor no Reino, servo de todos, será considerado maior que João.
            Portanto, a liturgia deste terceiro domingo do Advento nos convida a meditar sobre a figura de João Batista, daquele que faz a vontade de Deus acontecer, daquele que é fiel aos propósitos de Deus. João Batista significa a misericórdia e a complacência de Deus para com a humanidade, pois João sinaliza que a criação de Deus não está perdida, nem de tudo corrompida, mas está em constante luta contra toda miséria e a decadência. João é sinal de que os homens podem ser melhores e mais humanos, e que podem sempre mais preparar seus corações para o encontro com o Messias, que vem para salvar a humanidade, que vem para tirar todo pecado deste Mundo. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário